domingo, 29 de julho de 2012

PONTO DE EQUILÍBRIO

E parece mesmo que a vida toda, a gente passa ouvindo que, o importante é ter equilíbrio. É, equilíbrio. O que é isso? Anos se vão e parece que vamos descobrindo todos os dias, que mesmo o mais forte dos seres humanos, precisa de uma dose dessa virtude.

Mas eu me ponho a perguntar: o que nos tira do sério? O que nos deixa desequilibrado? Por certo, há algo que nos deixa sem os pés no chão. O tempo é longo quando procuramos equilibrar algo e rápido demais, quando quebramos essa harmonia.

Estamos sempre buscando o equilíbrio entre emagrecer e engordar; peso ideal pra harmonizar com corpo ideial. Esquilíbrio entre não se afastar demais da pessoa amada e não sufocar com excesso de cuidado. Mas às vezes é o equilíbrio entre a vida espiritual e a correria do dia a dia que nos afasta Dele. Mas e a vida social com familia e amigos, que quase sempre é consumida pelo trabalho e os afazeres ligados a ele?

São muitos. São inúmeros pratos que precisamos segurar nas mãos, sem deixá-los cair e na mesma velocidade devem ser mantidos. Lembra do malabarista lá no circo? Afinal, onde está esse equilíbrio? O que é que precisamos fazer para mante-lo conosco? Qual é o segredo?

Todos nós, ao analisarmos nossa vida, vamos descobrindo o que é que precisamos manter em harmonia. Às vezes, é por uma necessidade de sobrevivência, às vezes por uma imposição ou até mesmo por uma vaidade. A natureza, no seu compasso, nos diz que, apenas o equilíbrio que o homem não tem para com ela, seria necessário para mante-la viva. A doença vive nos dizendo, que muitos males poderiam ser evitados, se soubéssemos equilibrar o prazer simplesmente pelo prazer. Até os vícios nossos estão nos dizendo, que foi sóo uma falta de equilíbrio que não tivemos no passado para ele se instalar.

Diante da morte, diante de um não, diante de uma adeus, diante de uma chegada, na partida, na frustração, na amizade que não existiu, no amor, na separação... a gente vai descobrindo que é só uma questão de equilíbrio. Diante de uma rejeição, no carinho, no medo, nas decepções, ao ouvir um "nunca mais", "é pra sempre", é só uma questão de equilíbrio. No nascimento, no crescimento, nos prazeres, no sexo, nas descobertas, nas finanças... tudo é necessário equilíbrio.

Recordo-me, de quando estamos aprendendo andar de bicileta. O que mais queremos é ter o equilíbiro, para não cairmos quando ela deveria cair. Quando acreditamos nessa fassanha, arriscamos a pedalar e pedalar... O interessante é que até mesmo velhos, ainda estamos aprendendo andar de bicileta: na bicicleta da vida. O que nos mantem de pé é somente o equilíbrio. 

Vamos! Você pode ser o equilíbrio para muitas pessoas!


Paulo Veras é psicólogo clínico e organizacional, psicanalista, especialista em educação especial e inclusiva e professor universitário em Goiânia-GO.