segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

AS METAS PARA O ANO NOVO


É sempre no fim do ano, que as pessoas param - ou pelo menos deveriam parar - para fazer uma reflexão sobre o ano que se finda ao mesmo tempo quem que fazem os planos para o ano que se inicia. Mas e se a vida, fosse uma espécie de cola e copia? Se tivéssemos a possibilidade de copiar o ano que termina e colar no ano que começa, faríamos isso, sem nenhuma edição? Iríamos renomear alguns acontecimentos ou deleta-los? E o que queríamos duplicar? 

O certo é, que no ano que se inicia, irão acontecer dois fatos que são inevitáveis. O primeiro deles, são os fatos que temos certeza que vão acontecer. Do outro lado, estão os fatos que não sabemos se vão acontecer, estão no campo do talvez, do quem sabe... São incertos!

Neste novo ano, é certeza que vamos envelhecer um pouco. Sim é inevitável algumas rugas, algumas marcas, alguns sinais... quem disse que isso é ruim? Iremos aprender muito, seja com nossas próprias experiências ou pelas experiências dos outros. Sem duvidas, vamos errar, e por incrível que pareça com os mesmo erros. Que eles nos sirvam para engrandecer. É claro que vamos nos frustar, mas vamos também nos surpreender. Pode ser que façamos uma excelente viagem, mas pode ser que fiquemos em casa, trancados.

Quem sabe vamos encontrar um amor, mesmo seja apenas por alguns meses do ano. Quem sabe não vamos encontrar e o ano inteiro passaremos desacompanhados. Quem sabe, iremos nos decepcionar com alguns amigos, mas quem sabe iremos também encontrar bons amigos pelo caminho. Talvez alguns de nós que estamos lendo esse texto, iremos morrer, mas também podemos estar lendo de novo no fim do próximo ano. Quem sabe, um de nossos queridos nos deixe, e isso irá doer muito, mas poderemos juntos, comemorar tudo de novo.

É certo que iremos sorrir muito e claro poderemos também chorar. Chorar pela perda do emprego talvez; sorrir por um emprego novo. Quem sabe será o ano do seu casamento e de uma grande mudança, mas quem sabe não será o ano de sua separação e também o início de uma nova vida. Certeza que queremos muita saúde a nós e nossos familiares e amigos, porém, poderemos adoecer junto ou sofrer com a doença de outro.

Já parou pra pensar que muitos fatos que aconteceram este ano, não estavam no nosso planejamento. Alguns foram maravilhosos, outros nem tanto. Uns poderiam ter sido evitados por nós mesmos, outros nos pegaram de surpresa. Vamos deixar que tudo se repita novamente?

Mas que tal se neste ano, a gente começar a evitar muitos acontecimentos que não nos acrescentará em nada. Que só vai nos causar dor e tristeza? Que tal começar a estudar, parar de fumar, ler um bom livro, fazer atividade física, selecionar as suas amizades, ir mais ao médico, evitar fofocas, ser mais educado, sorrir mais, afastar-se da ganância e da falsidade, ajudar alguém, usar mais camisinha, pagar um plano de saúde, tratar o mal hálito, deixar de ser objeto nas mãos de outros, ser mais humilde, comer melhor, dormir melhor, crescer de alguma forma, jogar fora o que não serve mais, doar o que não se usa, separar o lixo, perdoar o passado, desenvolver uma habilidade...

São tantas as atividades simples que mudam muito. Basta querer.  

Paulo Veras é psicólogo clínico e organizacional, psicanalista, especialista em educação especial e inclusiva, especialista em docência do ensino superior e professor universitário em Goiânia-GO.