quarta-feira, 1 de julho de 2009

O VAGA-LUME


Não sei se vocês ja observaram um vaga-lume, mas, eu faço isso sempre que posso. Nas cidades, devido as grandes luzes, raramente encontramos um pirilampo por ai. Mas os vaga-lumes me fascinam. Eles me despertam admiração. Eu fico admirado com a coragem que o vaga-lume tem. Ele, pequenino como é, jamais se intimidade e mesmo na escuridão imensa da noite, ele ascende seu farol e sai por ai.

Mas interessante mesmo, é a capacidade de adaptar-se, que o vaga-lume possui. Quer serja diante de um farol incandescente ou diante de uma tenebrosa noite, ali está ele, mostrando seu trabalho e deixando ser visto. Isso quer dizer, que um vaga-lume, apenas um, na imensa escuridão faz toda diferença. É comum, as crianças ficarem em sua captura, tamanha é a atração que ele desperta nelas.

Observo que o vaga-lume nos passa uma lição fundamental, como seres humanos. A coragem que esse bichinho possui, deve ser para nós um motivador diário. O fato de não se intimidar diante das circunstâncias é também um estímulo para que prossigamos, mesmo quando nosso trabalho parece não ser visto, ou quando nossa luz estiver bem fraquinha. O vaga-lume mesmo quando é capturado e preso, continua a piscar, mostrando sua força e coragem, quando este não tem outra opção a não ser ligar o seu "farol".

Na vida, em todas as nossas ações, somos por vezes o vaga-lume. Tímido, esquecido e não raro, intimido, diante de algumas luzes, tochas ou faróis. Mas, que tal, ser o vaga-lume constantemente? Mesmo no excesso de elogios ou na crítica que não estamos acostumados, o ideal é bancar o vaga-lume: Nunca perder a luz, o brilho, jamais deixar de dar sinal e jamais esquecer, que o tamanho da luz pouco importa. O que importa mesmo, é a intencidade do seu brilho, e a capacidade de não apagar nunca, de não ter falta de energia, nem curto circuito.


Paulo Veras é Psicólogo em Goiânia.

9 comentários:

REGGINA MOON disse...

Paulo,

Obrigada pelo comentário!
Muito boa a sua postagem..."O Vaga-lume", nunca tinha pensado no que disse.Eu os via quando criança, hoje em dia as luzes artificiais intensas apagam as estrelas e os vaga-lumes...mas elas continuam ali, só nos resta ainda conseguirmos ver...

Um grande beijo!

Reggina Moon

Rond disse...

Nossa Paulo, essa sua reflexão sobre o vagalume me deixou bastante confiante no meu momento de vida. Acho q vc jah percebeu que o que escrevemos em nossos blogs pode agir diretamente sobre a vida de alguém! Responsabilidade hein! rs
Abração!
Me tornei um de seus seguidores!

Daniel Braga disse...

Obrigado pelo comentário. Meus textos são repletos de sentimentos.. tudo que faço procuro fazer de coração.. Seu blog é muito legal também e eu concordo com a pessoa acima... o que escrevemos em nossos blogs pode influenciar diretamente na vida de alguém...

~Até a próxima.

*DB*

José disse...

Paulo,
Não haja dúvida que tem aqui um bonito texto.
Gostei não intressa o tamanho da luz
o que intressa mesmo é o brilho e a sua intensidade.

um abraço

Marcelo Novais disse...

Eu amoo vagalumeee =D
Invada sempre meu blog...hehe
fuiz!

Alan disse...

Vou passar a observar mais esse bicinho. Se bem que, como voce disse, hoje nas cidades quase não os vemos mais.
Abraços e bom dia amigo,

Lucad disse...

Paulimmmm...

que legal a lembrança do vaga_lume, eu tenho uma historia tbem interessante sobre eles, mais será melhor contar regado a hi.

grande abraço!

Anônimo disse...

Acho muito estranho esse bichinho que fica com a bunda iluminada... kkkkkkk

Anônimo disse...

(...)Mesmo no excesso de elogios ou na crítica que não estamos acostumados, o ideal é bancar o vaga-lume(...)

Tu disse tudo!

Isahías

TRABALHANDO COM O MEDO INFANTIL

Senhores Pais, é natural e absolutamente normal que suas crianças pequenas sintam medo. Bem como, o nervosismo é um sentimento natura...