segunda-feira, 22 de abril de 2019

SOBRE A HORA DE IR E A HORA DE FICAR



Saber a hora de ir embora, de abandonar é um decisão tão difícil como saber a hora de ficar, de apostar mais um pouco. Essa dificuldade pode estar ligada ao fato de que acostumamos muito fácil, com aquilo que acreditamos ser nosso. Supostamente, temos a ilusão de que algumas coisas nos pertencem. Essa dificuldade de ir ou de ficar, faz com que queiramos sempre algumas certezas, algumas confirmações para validar a nossa decisão.
Embora seja muito claro para uns, ainda há outros que imaginam conseguir resolver as equações matemáticas do destino, por isso mesmo, precisamos acreditar nelas para que as nossas decisões sejam tomadas com menos dores e uma margem menor de erros. Na verdade, ter razão e ficar em paz é tudo o que queremos, mas essa conta não se fecha com facilidade. Tudo o que queremos é tomar a decisão correta e ter certeza depois que tudo fez sentido e que foi a melhor decisão tomada.
A experiência de vida de cada um, aquela construída com o tempo e com as vivências, vão nos mostrando quando o relacionamento já acabou, o emprego não serve mais, a amizade perdeu o sentido, o casamento já morreu tem um tempo e que o grande amor que se acreditava, não decolou. A gente vai aprendendo que ir embora dói, mas andar em um passo atropelado, dói bem mais e ficar é cruel.
Com o tempo, também aprendemos que a dor de ir embora é menor do que a dor de ficar para tentar se encaixar nos planos de alguém. Vamos descobrindo que dor mesmo, é se adaptar ao mundo do outro, quando o outro espera que você siga.
Partir requer coragem, até porque exige-se que consigamos construir o nosso próprio caminho, mas por outro lado, ficar sem a reciprocidade necessária, significa perder a oportunidade de ser o seu próprio porto, decidindo a hora de ir e a hora de ficar.

Paulo Veras é psicólogo clínico e organizacional, psicanalista, pedagogo, escreve e faz palestras, especialista em educação especial e inclusiva, especialista em docência do ensino superior e professor universitário em Goiânia-GO.

Nenhum comentário:

SE TE APAGA, NÃO TE APEGA

Com o tempo vamos conseguindo nos desapegar. É um exercício quase que diário e que requer uma boa dose de consciência. Quando temos a...