quarta-feira, 1 de maio de 2019

SÓ SE EDUCA COM AMOR




É interessante que comecemos refletindo, que patologizar nos filhos o que está mal resolvido nos pais, é a maneira mais simples de descarregar neles a ineficiência dos mesmos pais, no processo de educá-los.

A expressão pais tóxicos é uma denominação cada vez mais comum, usada pela psicologia, para classificar os pais que, sem capacidade de educar, agridem física e psicologicamente seus filhos, causando sequelas que irão ressoar pelo resto de suas vidas. Quando a crueldade está dentro de casa, torna-se mais difícil a intervenção de alguém que esteja fora deste círculo.

Deve-se lembrar que nenhum pai, nenhuma mãe é infalível e portanto não estão livres de cometer falhas, de perder a pouca paciência, de romper com a postura e até trair seus princípios e valores. Agir com perversidade na educação dos filhos, denuncia muito mais um prazer em agredir, do que vontade de educar. 

Promover a dor no outro, como forma de educar, revela uma disciplina em favor de uma vingança e mágoa do próprio pai, do que uma educação para o crescimento e equilíbrio do filho. Não se educa humilhando, muitos menos, humilhando aqueles que declaramos amar.

Agir com violência quando temos a intenção de educar é confirmar para a criança que ela não é merecedora de afeto e muito menos digna de amor e todos nós temos estes direitos. Comportamentos assim, ensinam aos filhos a repetir a mesma atitude dos seus pais, até porque podemos observar que estes já estão retornando e repetindo o que fizeram a eles. Não é absurdo dizer, que a casa dos pais é a escola dos filhos.


A postura de pais tóxicos na educação de seus filhos, podem construir adultos agressivos, violentos, com dificuldade de aprendizagem, medrosos, rebeldes, tímidos, covardes, com dificuldades de se relacionarem e com um forte sentimento de culpa, culpa essa que pode ser amenizada nas drogas e/ou bebidas.

Educação só acontece, se acontecer o amor.

Paulo Veras é psicólogo clínico e organizacional, psicanalista, pedagogo, escreve e faz palestras, especialista em educação especial e inclusiva, especialista em docência do ensino superior e professor universitário em Goiânia-GO.

Nenhum comentário:

SE TE APAGA, NÃO TE APEGA

Com o tempo vamos conseguindo nos desapegar. É um exercício quase que diário e que requer uma boa dose de consciência. Quando temos a...